Buscar
  • Globalwe

Que apoios há para startups enfrentarem os efeitos da covid-19?

O novo Consultório Financeiro e Fiscal do DV conta com esclarecimentos prestados pela Globalwe.


Tem dúvidas sobre impostos, precisa de aconselhamento fiscal para melhor prever o futuro da sua empresa? Com a ajuda de quem melhor sabe, o Dinheiro Vivo responde a questões relacionadas com finanças e impostos no trabalho. Um novo consultório financeiro e fiscal, em parceria com a equipa de consultores da Globalwe. Envie o seu caso ou dúvida para editorial@dinheirovivo.pt


No âmbito dos apoios à atividade económica para mitigar o impacto da crise provocada pelo coronavírus, que apoios existem para as startups?


Foram recentemente apresentadas 5+2 medidas específicas para o ecossistema das startups e com o objetivo de ajudar estas empresas a superar as consequências da pandemia de covid-19 e retomar a atividade normal após este período excecional.


Desta vez, foram apresentadas 5 medidas novas num valor global superior a 25 milhões de euros e que poderão representar em média, dez mil euros de apoio potencial para cada startup. Foram ainda adaptadas duas iniciativas já em vigor no atual contexto.


StartupRH Covid19 – apoio financeiro através de um incentivo equivalente a um salário mínimo por trabalhador, até um máximo de dez trabalhadores por startup.


Prorrogação por três meses o benefício da bolsa já atribuído no âmbito do Startup Voucher (2075 euros por posto de trabalho de empreendedor).


Vale de Incubação – Covid-19, um apoio para startups com menos de cinco anos, que permite a contratação de serviços de incubação com base em incentivo de 1500 euros não reembolsável.


“Mezzanine” funding for startups, um empréstimo convertível em capital social (suprimentos) após 12 meses, aplicando uma taxa de desconto que permita evitar a diluição dos promotores – com investimentos médios entre 50 mil e 100 mil euros por startup.


Covid-19 – Portugal Ventures, que consiste numa call (lançamento de aviso) da sociedade de capital de risco detida pela AICEP Capital, InovCapital e Turismo Capital para o investimento em startups, com investimentos a partir de 50 mil euros. A iniciativa é financiada pela Instituição Financeira de Desenvolvimento em Portugal (IFD), Portugal Ventures e Imprensa Nacional – Casa da Moeda.


Os dois apoios já existentes e que agora foram alargados às startups são:


Fundo 200M, no qual o Estado coinveste com investidores privados em startups e scaleups portuguesas, canalizando um mínimo de 500 mil euros e máximo de 5 milhões de euros.


Fundo de coinvestimento para a inovação social, no qual o Estado também investe juntamente com investidores privados em empresas com projetos inovadores e de impacto social (com um mínimo público de 50 mil e máximo de 2,5 milhões de euros).


https://www.dinheirovivo.pt/consultorio/que-apoios-ha-para-startups-enfrentarem-os-efeitos-da-covid-19/

0 visualização

21 727 2079

©2020 por Apoio empresas Coronavírus. Orgulhosamente criado com Wix.com